domingo, 19 de setembro de 2010

 Bad Surprise!


Esta noite estava a ser uma noite muito feliz.
A minha última festa, com amigos que convidei de alguns pontos da Roménia, vieram para celebrar comigo a minha partida.
Mas subitamente recebi um email, de uma pessoa que me quis fazer pensar.(Segundo dizia)
Uma pessoa que não me conhece assim tão bem.
Uma pessoa que opinou sobre a minha vida e as minhas escolhas, como se este blog fosse uma Telenovela e ela seguisse atentamente todos o episódios.
Pediu-me que não publicasse o seu comentário e a isto eu chamo, cobardia.É forte para me dizer á distância o que pensa, por um email, mas não pessoalmente.

 Acusa-me de:


1.Ter fugido da dor da morte do meu Pai.

Cada um encontra os mecanismos que possui, para fazer face á dor.Ter vindo para a Roménia é encarado por alguns, como uma fuga, mas fuga do quê?
A dor continua cá dentro, apenas suavizada, porque amei e fui tão mas tão feliz na Roménia.
Ninguém foge da dor, é impossível fugir dela.O que eu fiz foi encher o coração de coisas novas, de experiências enriquecedoras e concretizar algo que queria há muito tempo.Só não o fiz antes porque a minha família em especial o meu Pai.Precisavam de mim.E ali estive, forte e presente.
Entendi partir, e sei hoje que essa foi a melhor opção.


2.Não ter feito o luto.

Eu vou levar o tempo que for preciso, para fazer este Luto, não o quero fazer o mais depressa possível, e enterrar a questão, quero fazê-lo no meu tempo, no meu ritmo, porque me sabe bem pensar no meu Pai.Embora sinta saudades.
Sobre o meu luto eu agradecia que ninguém , mas mesmo ninguém opinasse, se não for para ajudar.Para fazer-me sofrer, já basta tê-lo perdido.Luto não significa usar roupa preta, eu sempre fui uma rapariga cheia de cores, e isso faz-me bem á alma.O luto não significa não festejar a vida, não sair de casa,não cantar, sorrir, dançar.O luto cada um sabe como o faz, ninguém está dentro de ninguém o suficiente, para avaliar o luto de cada um.



3.Não conseguir ajudar os outros, porque não os coloco no centro da minha vida.

Este ponto, deixa-me realmente triste por não ter um quê de verdade.
Que me lembre faço voluntariado desde os 14 anos, passei mais de metade da minha vida em missão, Tenho como principal objectivo na minha existência, ser útil aos outros,servi-los, amá-los e fazê-los felizes.Minimizar as suas dores, com a minha alegria, mostrar-lhes que podemos vencer tudo nesta vida se assim quisermos.Eu sei que já mudei a vida de muitas pessoas, e ás vezes apenas com um gesto, ou palavra.Porque muitas pessoas o fizeram comigo também.
Ora estou na Roménia, inserida num projecto e vou estar noutro em breve, porquê?
Para mostrar que faço alguma coisa na vida?NÃO.Não preciso de mostrar nada a ninguém, eu de facto tenho uma vida e muito bonita e abençoada, que agradeço todos os dias e procuro aproveitar da melhor maneira.Esta é a forma que eu encontro, se está certa ou errada, cabe a Deus Julgar a mais ninguém.
Ajudar os outros não significa esquecermo-nos de nós.


 4.Tenho medo do regresso a casa.

Medos, tenho alguns. Se perdi o medo da morte, quando a enfrentei de pé e bem de frente, não vai ser agora que vou ter medo, seja do que for.
Receios, todos temos.E sim o receio do que vou encontrar é um direito, ou não?
Atire a primeira pedra que nunca teve medo?As mudanças são sempre fonte de receios.Estou prestes a enfrentar mais algumas mudanças.Mas elas renovam-nos.
Apesar de tudo, eu sei que acabo sempre por superar os meus medos.E isso chama-se vencer.
Felizes aqueles que temem, e mesmo assim avançam no seu caminho.


5.Não deveria criticar a minha irmã.

Talvez, mas é muito bonito falar quando se está por fora.Eu tenho toda a moral, para o fazer.
Eu é que aguentei o barco, com o meu Pai, estes anos todos, eu é que fiquei em casa e fui o suporte dos meus Pais.Em tudo e ainda sou.E nunca senti, mas mesmo nunca a presença da minha irmã.
Porque havia de o esconder?É mais um facto da minha vida.Não tenho vergonha disso.Apenas mágoa.
No entanto a vida deu-me tantos outros irmãos, que chamo pelo nome, sem laços de sangue, Clarinha, Renata, Helena, Beta,Márcia,Duarte, Paulinho, Analu,Zélia...e perdia a conta agora.
E se me exponho por inteiro, porque havia de o esconder.Não posso entender que alguém como a minha irmã,ajude os que estão fora, como profissão, e não queira saber dos que são do seu sangue.Não me cabe na cabeça.Antes de vir para a Roménia eu cumpri a minha missão com a minha família.Com o meu pai.Entreguei-o nas mãos do Pai e a seguir também eu me entreguei nas suas mãos e foi isto que ele quis para mim.E eu sigo as suas directrizes.E nunca me arrependo.

6.Que vou escolher uma pessoa para ir comigo para a Turquia, para me ajudar a mim e não o projecto.

Ora, a pessoa está quase escolhida.E eu não a conheço bem.Estamos as duas a zeros, ao mesmo nível, indo para  uma realidade que desconhecemos, abraçando um projecto.Uma coisa sei, é uma pessoa simples, de coração aberto, com vontade de ajudar e que fez um excelente trabalho com os seus meninos, numa colina Algarvia, que muito poucos querem saber.Numa escola pública, onde os recursos faltam e a distância dificulta.Não é só nos meninos de África ou Timor, que as dificuldades existem.
E ela soube fazer do pouco, muito.Com garra, determinação e alegria.E por esse motivo, eu penso seriamente em aceitá-la para o projecto.Precisamente porque não a conheço bem, mas acredito na sua capacidade de trabalho.

Uma das últimas citações do email, não posso deixar de citar:

"No regresso, não contes com "Tapetes vermelhos". O que foste fazer não é digno de admiração, nem de aplausos.Humildade!!"

Bom, o que posso dizer?
Eu que parti sozinha do aeroporto, numa madrugada em que levava na bagagem chamada coração, todo o amor que podia,apesar de ter sofrido recentemente uma perda incalculável.Parti sem cânticos,sem letreiros de boa sorte e com o meu nome escrito, sem abraços, sem serem publicadas quaisquer noticías sobre a minha partida numa resvista, site, jornal ou mesmo Tv!Onde estão as passadeiras vermelhas?
Eu que vou chegar sozinha e terei provavelmente 1 amigo á espera.Mais uma vez sem tapetes vermelhos.
Não me acho o máximo porque vim para a Roménia, a minha noção de mim mesma e das minha capacidades já estava há muito fundada.Vir para a Roménia foi em grande parte provar a mim mesma, aquilo que posso fazer e ser neste mundo.Mas foi sobretudo compreender esta  realidade e poder ser parte dela ajudando-a de alguma forma.E consegui.E então agora, que estou tão mais forte e cresci em tantos aspectos.Eu acho que agora já nada me vai parar.

Para fechar disse-me ainda:

"Faz o favor de fazer os outros felizes."

Sim senhor, terei isso em conta,não como algo que nunca tenha realizado, mas como algo que pretendo fazer ainda e sempre mais.
O pedido é caso eu me esqueça de fazer os outros felizes?
Não me parece que isso seja possivel de esquecer, para mim.

Que posso eu dizer, depois de um email assim?
Deixa-me tão triste.Deixa-me tão desiludida.
Faz-me pensar em como as pessoas são más, quando vêm a vida dos outros por um canudo.E opinam sem saber a verdade.
Porque por mais que doa, é a verdade que eu uso e vai permanecer em tudo o que faço, sinto, escrevo e vivo.E isso dá-me a maior leveza de alma que algum dia podia ter.
 Este blog, não é uma telenovela, é uma vida real, em tempo real, que existe, que sofre, que vive, que se alegra, que chora, que grita, que se sente frágil e forte também.Mas nunca envergonhado.
Em 6 anos, de blog, quase, nunca recebi um comentário tão frio.
E pensar que esta pessoa se prepara para ser exemplo para os outros de tantos valores.Deus nos proteja!


E contra o que é frio, o que é quente e macio, por isso deixo a esta pessoa a mensagem do António feio, pode ser que quebre o seu coração de gelo e a faça pensar o quanto foi cruel nesta noite: 


"Aproveitem a vida, 
e ajudem-se uns aos outros.
Apreciem cada momento e agradeçam.
Não deixem nada por dizer, 
nada por fazer."




Assim farei.

5 comentários:

Rute Cerqueira disse...

Minha querida Rita!

Ninguém tem o direito de se por assim na tua vida...

Quando se é amigo respeita-se as decisões do outro, e se derem certo estamos cá para festejar se correrem menos bem estamos cá para dar calor, amor e colo.

Quanto ao luto e à dor, NINGUEM MAS NINGUEM pode opinar, só quem não sabe o que isso é pode dizer tais coisas. O luto faz-se muitas vezes por uma vida inteira, não é na cor que se veste, na musica que ouve, nas conversas ou etc... muito menos no local que se faz... o luto faz-se no nosso coração! Nao tenho duvidas que amas o teu pai acima de tudo, nao tenho duvidas que o teu lugar foi ao lado dele ate ao ultimo suspiro...agora VIVE!! A vida foi feita para VIVER!!! A missao dele esta cumprida, a tua estas a cumprir!

Não vou fazer mais comentarios a esta "triste" carta que alguem te enviou.

Os amigos sao a familia que nós escolhemos, obrigado por pertenceres a minha gigante familia verdadeira.

Gosto muito muito de ti minha querida rita das trancinhas *

Anita disse...

Rita,
Fiquei gelada com o que li!!!
Mas um bom julgador, por si se julga! Talvez essa pessoa tenha falado com base naquilo que ela própria é.
Talvez seja também a capacidade nula que tem de fazer uma entrega semelhante à tua.
Eu, por mim, se podesse estendia um tapete vermelho, escrevia muitos cartzes, a todos aqueles que tal como tu, rasgam caminhos para levar sorrisos aos outros, pintam as suas vidas com cores de arco-íris e mostrar-lhes que Deus os ama!
Quando saires do avião olha para o chão e imagina um tapete vermelho! Eu estendi-o para ti!
Força Rita! Parabéns! Continua!
Suporta-te nos muitos comentários positivos que foste recebendo ao longo destes anos! =)
E obrigado por fazeres parte dos meus dias!
Bjs
Anita

Zélia disse...

Ao ler tudo isto...resta-me agradecer ao Pai pelo Dom fantástico que me deu de compadecer perante a dor dos outros, de sofrer com a dor do meu irmão...

Não sofro por ti Rita mas pela pessoa que escreveu tais comentários... intristece-me e sofro ao perceber que há pessoas que não estão bem consigo mesmo... que não sabem distinguir o trigo do joio e se o sabem fazer optam pelo joio...

Uma visao completamente distorcida do bem... da entrega do que é o amor...

Mas quem sou eu para julgar...rezo por ti meu Irmão...

O melhor mesmo será dar a outra fase...

Abraço Rita...

Anónimo disse...

Ola Rita! Ainda te lembras de mim?????

Apesar destes anos todos em silêncio acho k não é preciso dizer k tens e terás para sempre um lugar especial no meu coração, pois a pessoa e o ser humano que tu és é impossivel esquecer.

Estive agora a ler algumas passagens do teu Blog e deixa me dizer k me sinto bastante orgulhoso de te ter como amiga.

És pura e simplesmente maravilhosa!

Lamento imenso a perda do teu pai, eu sei o k é isso, apesar de a pessoa que eu chamava pai ser tudo menos pai.

Sei que não tenho nada a ver com isso mas em relação ao mail que recebeste quero apenas dizer para não ligares.

És "grande" demais para ligares aquelas mesquenhices. De certeza que é pessoa que não merece que percas tempo a "chorares" pelas coisas k ela te disse.

Apesar de secalhar não te conhecer tão bem como essa pessoa sei k tu vales imenso como ser humano.

Infelizmente há gente que pensa mesmo que o luto é vestir cores escuras, chorar o dia inteiro e "pararmos" no tempo, pararmos a nossa vida.

Para mim o luto vive-se, acançando objecivos na vida, correndo atrás de sonhos para que "lá de cima" essa pessoa se orgulhe na filha que tem e saiba qe está sempre no nosso coração ... mas isso é a minha humilde opinião.

As coisas que tu tens feito ... as pessoas que tens ajudado... Espectacular.

Tapetes Vermelhos????? Nããããããã!!!!! MERECES MUITO MAIS... és uma lutadora, sonhadora, persistente,HUMILDE, nobre... sei lá podia estar aqui a enumerar muitos mais adjectivos mas tu sabes aquilo que és... e olha que eu conheco te mal comparados com as pessoas que vivem perto de ti, que fazem parte da tua vida.

Grande Mulher, Enorme Ser Humano.

Desejo te tudo de bom na vida pois aquilo que tu fazes pelos outros é impagável e imprescindivel.

Um Grande beijinho de alguem que nunca te esquecerá e te irá apoiar sempre ... e para sempre ... ainda que nos bastidores e muitas vezes em silêncio.

Felicidades Rita e continua a seguir os teus sonhos, a ser feliz e a fazeres tanta gente feliz.

Bjinhos

António Ricardo Silva disse...

Terás mais do que 1 amigo à tua espera no aeroporto se assim o quiseres.

Esse tipo de reacções que descreves são muito negativas, embora não de todo inesperadas.

Mesmo eu não compreendi alguns dos teus comportamentos e falei contigo francamente nessa altura, não para te dissuadir, apenas para compreender a tua posição melhor.

Apenas sei que és uma pessoa forte e como tal tens atitudes e decisões que nem sempre serão consensuais.

Apenas sinto que és uma pessoa boa que já passou por mais do que merecias nesta vida ainda tão curta que tiveste.

Apenas acredito em ti, no que és. Apenas não me esqueci das tuas palavras e do teu calor.

E por isso, apesar da distância ou do afastamento, não me esqueço de ti e estarei do teu lado se de mim precisares.

Um abraço do Ricardo