terça-feira, 24 de outubro de 2006

Barreira,trouxe-nos um pouco de Taizé...

Podia já ter escrito algumas palavras sobre o que vivemos este fim de semana,nessa aldeia que nos acolheu,recebi bem mais do que dei...
Mas a verdade,é que as experiências fortes para mim,levam tempo a digerir,e não sei,ainda se consigo falar de tudo...
Foi tanto,e tão bom,foi intenso,foi voltar a Taizé (como dizia alguém),sem sair daqui!
Ficam as imagens que falam por si...e na memória de cada um,bem vivo...o Amor.

O dia começou bem cedo...encontro marcado para as 7h30,acabámos por sair ás 8h30,eu também me atrasei=/...acontece!Foto aqui foto ali...tralha e mais tralha...pronto!


Lá partimos nesse dia chuvoso,mas eu sentia-me quente,tão quente,por dentro...não sabia bem o que ia encontrar,mas ia disposta a dar tudo o que tinha.
A alegria sempre.


Tive o prazer de viajar no carro do Helder,excelente condutor...e animador!!

Chegámos por fim,depois de chuva,cantorias,e buracos na estrada nacional,(para fugir á portagem),á Batalha...e eis que na rotunda,aparece,o Samuel,para nos orientar...entre um café,e um abraço,seguimos,em fila indiana,até á Barreira.


O caminho dava-nos a conhecer uma outra realidade,mais verde,mais pura,onde a liberdade impera...e onde as vinhas em tons de vermelho,beijadas pelo sol,nos davam a conhecer,um verão que passou por ali,que dava agora lugar a um inverno,que se aproxima,a passos largos,mas não menos belo...
O cheiro era o da terra molhada...

E o que podia saber melhor á chegada,do que um cântico,a receber-nos,os sorrisos conhecidos...e um chá servido bem ao jeito de Taizé,pequenos gestos,que ficam...
Entre um jogo...e gargalhadas,seguimos para um momento de oração,onde nos deparamos com um recanto,preparado com muito carinho,em tons de laranja e vermelho...tal como em taizé...tudo estava cuidadosamente no seu lugar.
Rezamos juntos pela primeira vez,a primeira de muitas naqueles 2 dias.
O almoço foi de partilha,de reencontros...e como não podia deixar de ser,a hora de arrumar a loiça e lavar,foi de festa,canções e grandes banhos á mistura,e com todos a ajudar,em 20 minutos tudo estava limpo e arrumado.
Nessa mesma tarde,os grupos de reflexão reuniram-se,e foram descobrir a aldeia,nem a chuva nos impediu.
Descobri então, uma terra,que vive da agricultura,do que a terra dá,descobri pessoas que têm sempre mais para dar,porque tudo lhes sobra e nada lhes falta,principalmente amor!
As pistas de reflexão muito bem escolhidas,ajudaram-nos a olhar para o outro que está ao nosso lado de forma diferente,aprendi muito...e todos os grupos fizeram o mesmo percurso,e tiveram todos experiências tão diferentes e tão ricas.O resto da tarde serviu para as apresentarmos aos outros.
E a mensagem passou muito bem,houve surpresas,boas,e Deus ali no sorriso de cada um,Houve músicas feitas,houve teatro,houve tanto...
E nada como um lanche de pão com chouriço...quentinho,pão com queijo e fiambre quentinho,ou manteiga, doce,ou nuttela,daquele que se desfaz na boca,cozido em forno de lenha...
Seguimos para o ensaio dos cânticos para a missa,e por fim a Eucaristia,onde o ofertório falava de Taizé,e entregava a Deus tudo o que lá aprendemos e recebemos.
A oração da noite com cânticos de Taizé,recebeu a visita de algumas pessoas da terra,eramos muitos,e senti uma enorme paz, ao fim de um dia...cheio.A partilha de cada um...o estar ali frente a frente com Deus.
Jantar,sopa quentinha,jogar ao lobo,decidir onde vamos pôr o saco cama,a maioria decidiu-se pela capela,dormir junto do PAI,foi especial,senti-me como que num berço,e fui embalada por ele.Tenho a certeza.
Entre o ressonar de alguns e as fortes chuvas lá fora,adormeci,sorrindo,feliz por estar ali,por viver em comunidade,e ser tão feliz.
O dia amanheceu,com Indios loucos a romperem pela capela dentro,munidos de tachos e colheres,a cantar um samba,que dificilmente esquecerei:"Bom dia,wê lê lê...lá lá,Bom dia,bom dia!!!"
E uma hora tinhamos para nos despacharmos,sono era muito,a missa da terra,ás 10h,todos a dormir,lá fomos.Alguns como eu nem o pequeno almoço tomaram...
O almoço o ultimo,num clima de festa,seguido do balanço final...que deu a conhecer o que cada um tinha sentido,e a palavra que fica,COMUNIDADE,mais uma vez...Sei também que aqueles que não partilharam,com voz,o fizeram bem dentro de si mesmos,no coração.
A última oração,longa,demorada,como que a querer permanecer.
Por trás de todo este acolhimento fantástico,estiveram algumas pessoas,que não vimos,mas que nos proporcionaram,momentos fantásticos...e que também á sua maneira contruìram connosco, um espirito onde é possivel,ALARGAR!!
A hora de partir,estava perto,devagar, sem pressas fomo-nos despedindo,aqui e além,criam-se laços,fortalecem-se outros que já existiam...em breve estamos juntos,este espirito não nos deixa nunca ficar longe...mas sempre perto.
Foi assim que me senti,PERTO,de Deus,dos que amo,e dos que tenho de aprender a Amar,do Mundo,da natureza,de mim,e daquilo que sou.
Mais uma vez TU ME DIZES PAI,que nasci,para viver em comunidade,e servir...na alegria.É esse o meu caminho...

Fica um Obrigado...muito especial a todos.

"Tu tens que dar um pouco mais do que tens...
Tens que deixar um pouco mais do que há,
Se vais ficar muito orgulhoso-vê bem
Tens que te lembrar
És um grãozinho de uma praia maior
e deves dar tudo o que tens de melhor
Para avaliar a tua alma há leis!
Tu tens que dar um pouco mais do que tens!

FICA MAIS RICA A ALMA DE QUEM DÁ,
CHEGA MAIS ALTO O HINO DE QUEM VIVE A PARTILHAR."

1 comentário:

Lua disse...

Ai, quem dera ter ido com vocês! Os escuteiros agora são a minha prioridade... mas estive lá com o coração. Beijos grandes.