terça-feira, 26 de setembro de 2006

A casa do Duende...



É linda não é?
Apresento-vos a casa do Duende...e porque não a casa dos meus sonhos?
A casa do duende,porque acredito neles,e sei que vivem assim nas florestas.
Há quem pense,que é meio básica,sem condições...tosca,e isolada.Não precisaria de mais para viver feliz.
Esse isolamento,para mim é paz.E sempre que quisesse,descia á terra,para tudo o resto.
Mas lá dentro,ah,lá dentro,um mundo,criado por mim...feito de coisas belas,e nossas.
Lá dentro o ar quente,no frio do inverno,uma lareira acesa,um bom vinho,e uma música que eu mesma canto,e danço,á medida que vagueio pela casa descalça,embrulhada num chaile de lã verde relva.
No fogão,a chaleira para o chá...e no forno,aqueles biscoitos,prontos a sair...um incenso a queimar,algo divino que se respira.
As minhas coisas,espalhadas,como é hábito,mas por isso ficam bem assim...ao encontro das tuas.
As prateleiras,cheias de fotografias dos amigos,daqueles momentos guardados para sempre,que vivemos pelo mundo...livros e flores,muitas flores frescas a perfumar a casa.
No sotão,as minhas recordações mais queridas,mas cuidadas,sem pó,sem abandono.
Na casa do Duende,há lá dentro também,um cantinho de Taizé,um recanto de silêncio,para todos os dias,e de partilha sempre que se quiser.Muitas velas,e aquela saudade.
Receber os amigos,num fim de tarde de domingo,e ficar até tarde,falando de tudo e de nada,rindo,sentindo esse calor...que só nós fazemos nascer.
Sair para uma caminhada de manhã cedo,bebendo o orvalho,respirando o verde,parece que o sinto...e regressar ao pôr do sol,para um banho quente,no nosso refúgio.E aquela sopa quente,que nos repõe as energias.
Adormecer com os grilos a cantar,e o riacho a correr,e o teu braço pousado em mim,a dizer-me está tudo bem!
Cá fora,uma rede,para vermos o céu e as estrelas no verão,muita lenha,para a lareira...bancos,para estar em comunhão com o mundo,ali onde é mais puro...e fazer aquelas guitarradas com os amigos,em noites quentes.
Simplicidade,é aquilo que desejo.
Jamais um palácio cor de rosa,esse, só existe cá dentro,para guardar o mais belo.
E são tantos os sentimentos e sonhos que me desperta olhar para a casa do Duende,que ficaria o resto da tarde,a escrever...é que esta noite sonhei com ela.
Descrevo-a com palvras simples,porque toda ela é pincelada da cor dos meus sonhos...mas lá dentro,ah lá dentro...

...imaginem vocês,como seria?


Porque afinal esta, é também a vossa casa.

E porque o inverno não tarda...aqui fica Winter,by Tori Amos...LINDO!
http://www.youtube.com/watch?v=tDU_WYTEje0


1 comentário:

Jorge Mestre disse...

Que esta casa do Duende sirva para albergar todas as realizações que as tuas vontades e sonhos permitamm. Vive a vida, sonha com ela e realiza-a!