quinta-feira, 10 de agosto de 2006

Mudanças...tantas,em tão pouco tempo!

Mudanças...
Falo de mudanças,sim,essas que todos por vezes gostam de fazer,mudar algo de sitio,mudar de casa,mudar de ares,de ruas,de cidade...de estilo,de perfume...de tantas coisas,há quem mude de namorado,facilmente,como se de uma blusa se tratasse.
Felizmente há mudanças,que não queremos fazer,porque na vida tudo muda tão depressa?!E ai temos livre escolha de não querer mudar,certas coisas,já que outras mudam sem que consigamos sequer ve-las ir embora...

Neste momento sinto vontade de fazer um resumo das mudanças,que se têm operado na minha vida..as pessoas lindas que me transformaram,e me deram vida!
Falo de 2 amigas,que Deus quis levar para junto de si,por tanto as amar,duas estrelas,que brilham ainda em mim.

É assim que recebo a noticia,rodeada de gente,em Belém,que ao ouvir-me dizer que tinham falecido duas amigas,resolveram ir lanchar e conversar alegremente...ao que eu pergunto,será isto AMIZADE?
Contudo não quis estragar o momento,e fiquei.Enquanto tilintavam chávenas,na mesa,e se falava,eu só via na minha cabeça,imagens dessa aldeia linda onde estive em missão,Santana da serra,onde tive o previlégio de conhecer a ANDREIA,E A SUSANA,duas irmãs com vida suficiente para por uma aldeia a mexer logo pela manhã...para levarem para a frente um projecto que parecia não ter pernas para andar,para me fazerem acreditar,numa altura dificil para mim,que tinha de lutar sempre,porque muita gente precisava de mim.Hoje vejo que sim,valeu a pena essa luta,minhas amigas.Escrevo como se falasse,sei que escutam atentas.
No dia em que voltei a Sanatana,dei muitos abraços,e enxuguei lágrimas,saudosas de ti Andreia,da tua irreverência sadia,e da tua presistência e determinação Susana.Mas também ouvi a duas crianças,que me confidenciaram:" quando crescer,quero ser como elas"...
Foi isto que nos deixaram,sementes de vida,desejos,caminho para andar...nesse dia não fui despedir-me de vocês,mas receber-vos de forma diferente na minha vida.Vi nos olhos de todos,dessa terra linda que é a nossa,mudança,muito mudou,desde que estão com o pai,mas mudança vai gerar vida...estou certa.
Eras tu Andreia,que dizias:"quero ser missionária...como tu Rita!", se soubesses...como foste tão mais missionária do que eu,que tendo tudo falho,e tu sem grandes recursos,amavas tanto,impelias mudanças visiveis nessa nossa terra...
Cantei a estrela polar baixinho,aquela musica que vos ensinamos,e que nunca mais pararam de cantar,e que até os mais velhos da aldeia sabiam.Isto é o verdadeiro poder de contagiar os outros.Obrigado por isso...E POR ESTA SEDE DE VOS ENCONTRAR EM MIM.

Isto mudou,a minha vida,e a de tantos,embora os que estão perto não se tenham apercebido.

Mudanças,também as houve e há,cá dentro,decisões,o terminar de uma etapa,chegar aquela fase de transição,em que termina o curso,e se abre o momento de colocar em prática o que se aprendeu...não uma fase de receios,mas de incertezas,entre ficar ou partir.Entre dizer sim, aquilo porque se esperou tanto tempo,levantar voo,e mergulhar no mundo...ou permanecer calmamente,junto dos que se ama,porque achamos que precisam de nós,ou seremos nós que precisamos deles?
Muitas vezes as respostas já as sabemos há tanto tempo,sei-as desde que me entendo,que não fui criada para estar no mesmo lugar o resto da vida,a fazer o mesmo,o meu espirito é livre,e há tempos que deseja voar mais alto,para além destes pequenos mas grandes percursos...que me treinaram!
E entre muitas concretizações,belas...há estas mudanças,que inevitávelmente têm de acontecer,para que se possa evoluir.

Hoje é dia do PAI,e senti de súbito uma enorme vontade de escrever,e analisar mudança por mudança.Menos esta,que se chama,PAI.Essa,não posso analisar,porque não vai mudar nunca.Pai, é sempre Pai,e o que ele é, eu também sou...e amá-lo, amo, sempre cada vez mais,não é como qualquer amor,ou amizade que se deixa de sentir,e "partimos para outra"...aconteça o que acontecer,há coisas que não mudam...porque são mesmo eternas,e a eternidade é algo demasiado belo,para ser explicado!
Pai,pai,pai,esta palavra pequena,e este sentido GIGANTESCO.

Por fim olho para mim,ao espelho,mudanças...também as encontro,são os sitios que passam por mim,e eu por eles,são as pessoas,que nos marcam,e nós marcamos,são as palavas que nos doem na alma,por não serem verdade,e as que nunca mais saem de nós por nos fazerem sentir amor,assim puro...não muda em mim a vontade de amar,de ver o mundo com olhos mágicos de criança,não muda tanto...mas muda muito.
Cresce um Deus...que me habita faz tempo,e me conhece,e essa é a minha maior força!

Mudar pode ser bom ou mau,mudar pode ser crescer,mas também obdecer ao que o mundo e os outros nos pedem...assim sendo,considero a todo o momento,que cresço...e não obdeço!

Atenta fico,aos desafios que se avizinham...

Rita

1 comentário:

Teresa disse...

que texto lindo.. fico com pena que as duas irmãs tenham partido, mesmo não as conhecendo, mas espero um dia poder causar metade da mudança que tu falas que elas causaram durante o tempo que por cá passaram...

enfim.. a vida está sempre a mudar, nada do que é certo hoje precisa de sê-lo amanhã..